Title Image

Blog

Série: O mistério da dieta low carb: ela é perigosa? – Parte 11

O fim do mistério: quem é o fantasma ?

Ao longo das últimas semanas, com a ajuda da turma do Scooby Doo, desvendamos mistérios envolvendo a dieta low carb e os vários órgãos e sistemas.

Espero ter ficado claro e transparente que, além de não ser lesiva, a restrição de carboidratos é uma excelente opção terapêutica na síndrome metabólica que tem na sua raiz distúrbios envolvendo a insulina.

Tradicionalmente diabetes tipo 2, hipertensão arterial (pressão alta), dislipidemia (alterações de colesterol e triglicérides) e obesidade são os critérios diagnósticos. Apesar disso, a hiperinsulinemia crônica e a resistência à ação desse hormônio pode aparecer com outras facetas clínicas: esteatose hepática (gordura no fígado), gota, cálculos renais e síndrome dos ovários policísticos são alguns exemplos.

Se podemos através de uma intervenção nutricional segura e de baixo custo atuar em ampla gama de patologias, por que, ainda assim, os profissionais de saúde relutam tanto em aplicá-la rotineiramente ?

Mistério solucionado, fantasma desmascarado e bem conhecido de todos. Quer saber o nome dele ?

Pois é… o senso comum! Aquele que causa uma inércia coletiva e aprisiona mentes não treinadas pelo verdadeiro método científico pautado no ceticismo e refletido no seu princípio fundamental da hipótese nula.

Como disse o escritor americano Ernest Holmes: “Praticamente toda a raça humana está hipnotizada pelo senso comum, pois a maioria pensa o que lhes disseram para pensar.”

Nas ciências biológicas, o filtro cético passa pela utilização, na prática, dos conceitos da Prática de Saúde Baseada em Evidências(PSBE).

Em minha palestra intitulada O Mistério da Dieta Low Carb mostro com detalhes as provas (trabalhos) que corroboram essa conclusão, além de passear superficialmente por alguns conceitos fundamentais para quem trabalha com ciência. Estou planejando montar um curso online para disseminar esses conceitos da PSBE. Quem animaria ?

COMENTÁRIOS
Postar um comentário